Territórios | Redes

Mata Atlântica

Grupo Vale do Maquiné
No litoral do Rio Grande do Sul, várias famílias de agricultores se reúnem desde o início da década para incentivar a agroecologia na região, formando o Grupo Vale do Maquiné. O trabalho começou com a cultura da palmeira Juçara, importante cultivo de diversos grupos e também comunidades tradicionais pelo Brasil. Atualmente, o grupo expandiu a produção para outros alimentos. Um dos principais desafios das famílias se dá na articulação e logística para a venda dos produtos em Porto Alegre, já que o consumo de orgânicos no litoral do estado ainda é incipiente.

Bioma Pampa

Grupo Biodiversidade de Herval
Diversos agricultores de Herval, região localizada no bioma Pampa, no sudeste do Rio Grande do Sul, vivem sob a constante ameaça das monoculturas, em especial o cultivo desenfreado de eucaliptos. O monocultivo prejudica diretamente o sustento das famílias, na medida em que altera as horas de sol e a presença da fauna local, por exemplo. O Grupo Biodiversidade, formado por produtores de assentamentos locais, trabalha a agroecologia como forma de resistência, principalmente com a manutenção do uso das sementes crioulas na região. A proposta do grupo é de uma organização autônoma, apartidária e não-governamental. Os moradores também sofrem com a falta de políticas públicas, como a ausência de transporte escolar.

Metrópole de Porto Alegre

Cinturão Verde
A região do extremo da Zona Sul de Porto Alegre é cenário de constante luta dos moradores e agricultores locais contra a especulação imobiliária. Reconhecida pela  Lei Complementar 775/2015 como Zona Rural de Porto Alegre, a área é formada por morros como o São Pedro e o da Extrema, na base dos quais diversas associações de agricultores produzem alimentos e outros produtos agroecológicos, que abastecem a alta demanda das feiras da cidade. Os limites da área estão sendo ameaçados pela pressão das construtoras, que buscam investir em condomínios de luxo e no programa Minha Casa Minha Vida, que ignora o centro da cidade como solução do déficit habitacional.

Cantagalo
A Aldeia do Cantagalo, em Viamão/RS, tem cerca de 280 hectares e abriga 50 famílias mbyá-guarani. Reconhecida há 35 anos como reserva indígena, área tem como estrutura uma escola, posto de saúde e a casa de reza, além das casas dos moradores. A comunidade realiza passeios turísticos e sobrevive também da venda do artesanato.

Ocupação Povo Sem Medo de Porto Alegre – MTST
O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) é uma organização formada e organizada por trabalhadores, principalmente da periferia das cidades, e está presente em 11 estados do Brasil. A ocupação de terra, trabalho de organização popular, é a principal forma de ação do movimento pela moradia digna e tudo o que envolve esse direito universal, como saneamento básico, calçamento, infraestrutura e transporte público. Em Porto Alegre, atua de forma cooperativa em áreas como a comunidade Progresso, alguns grupos do Morro Santana e a Vila Dique.

Quilombos urbanos
texto